DOS DIÁLOGOS INFORMAIS - 25

25

— Pra mim, chega de conversa!
— Mas por quê? Estava tão bom, não estava?
— Estava. Até que foi bom, divertido. Só que chega. Foi bom enquanto durou, mas agora chega.
— Você não vai fazer mais depois?
— Não sei, nunca se sabe. Pode ser que mais adiante eu faça, não sei. Mas agora não quero fazer mais.
— Que pena... Eu gostava... E agora, você vai fazer o quê?
— Não sei ainda. Estou pensando em várias coisas, mas não me decidi por nenhuma.
— Então, enquanto você não decide, continua...
— Não. Tá certo que é divertido ficar prestando atenção na conversa dos outros. Mas agora quero me concentrar em outras coisas, diferentes disso... Acho que eu andava precisando disso quando comecei a fazer, olhar pra fora, ouvir as pessoas, essas coisas. Só que agora estou noutra, mais reflexiva, mais voltada pra dentro...
— Acho que vou sentir falta...
— Fico feliz que eu tenha agradado você, muito obrigado mesmo.
— Tenho certeza de que não fui só eu que gostei. Basta você conferir o número de acessos.
— Verdade. Gostaria de agradecer a todo mundo como estou agradecendo a você. Quando a gente escreve, quer que as pessoas leiam. Se não, pra que escrever, não é?
— Então você vai escrever o último de seus Diálogos Informais?

— É. Este será o último.

3 comentários :