DOS DIÁLOGOS INFORMAIS - 15

15

— Já que ele não liga pra mim, acho que eu vou ligar pra ele.
— Tem certeza?
— Tô com vontade de falar com ele.
— Se o cara não liga, é porque não tá a fim, né?
— Quem sabe eu faço ele ficar a fim...
— Você que sabe...
— Alô, Marcelo?
— (...)
— É, sou eu. Me deu vontade de falar com você...
— (...)
— Não. Não só falar, queria ver você também.
— (...)
— Eu sei que você está trabalhando, mas a gente poderia marcar...
— (...)
— Tá bom, sábado, então.
— (...)
— No lugar de sempre. Oito horas. Vê se não atrasa. Beijo...
— Sabe o que eu acho? Acho que você não tem vergonha.
— Ah, ele não ligou porque estava trabalhando.
— Ele está “sempre” trabalhando.
— Ele trabalha mesmo, não é desculpa.
— Esse cara tá te usando.
— Não mais do que eu estou usando ele...
— Se agora ele vive trabalhando, imagine quando casar...
— E quem disse que eu quero casar com ele. Deus me livre, um cara que só pensa em trabalho, em ser promovido... Eu, hein... Um cara assim eu nem quero namorar...
— Então o que você quer com ele? Fica ligando... Pensei que estivesse apaixonada...
— Apaixonada? Imagine... Sabe o que é? É que ele é gostoso demais!
— Sexo?
— É isso aí. Depois tem que aguentar a conversa chata dele, aquelas coisas do trabalho. Mas durante...
— Achei que você estivesse a fim dele.
— E estou, mas só pra isso, até eu me encher. Depois eu pego outro. Quem sabe o outro não vai ser mais interessante...




Um comentário :