ALÔ

ALÔ
(poema com jeito de Bye, Bye Brasil)

Alô, tudo bem?
Estou, tudo bem
o frio já se foi
a chuva também
hoje estou sem carro
mas sem problema de grana
tenho o que dá pro cigarro
comprei camisa estampada
liguei pra você só de sarro
saber se vai tudo bem;
acho que estou, tudo zen
a lua aqui está cheia
e aí, tem lua? Tem céu?
Aqui a coisa anda feia
quase me roubam dez paus
falei com fulana de tal
pelo jeito ela está dawn
todo mundo meio maus
e aí, tudo bem?
Você levantou o moral?
Viu o que deu no jornal?
Quem diria, que barato
acho que o mundo é assim mesmo
eu tô me ligando nos fatos
tem gente na minha cola
sei lá o que querem de mim
mas seja lá o que for
não tô nem um pouco afim
liguei pra saber de você
diga aí, tá tudo bem?
Tem visto muita TV?
Eu não, tô muito na minha
comprei loção de pós barba
botei meu bigode de molho
que a coisa aqui está braba
mas tô esperto, tô de olho
meu carro tá na oficina
eu pego busão na esquina
queria dizer pra você
nem sei bem quê, esqueci
acho que foi o que li
não sei, lembrei, me amarrei
queria dizer, a cidade
está como sempre foi
eu moro na mesma rua
hoje é noite de lua
lua cheia como um prato
e aí, se livrou do rato?
Estava pensando na vida
acho que li um relato
que fala de umas saídas
liguei pra você sem motivo
estou me sentindo tão vivo
sei lá, talvez seja o dia
foi cheio de novidades
andei a pé na cidade
meu carro pifou e eu dancei
comprei uma meia azul
nem a TV eu liguei
a noite está cheia de luz
pensei em ligar pra você
sonhei que estava no espaço
bateu saudade de abraço
à tarde fez um mormaço
o dia estava demais
estou bem, estou em paz
e aí, também você?
Eu ontem tava deprê
Quase esqueci de comer
mas só que pintou um lance
saí pra fora e era sol
parei num bar, comi lanche
sei lá o que querem de mim
minha vida é mesmo assim
falei com fulana de tal
esqueci que estava mal
ouvi uma boa piada
enchi a cara de cerveja
escrevi coisa engraçada
eu quero que você veja
liguei então pra você
dedos longos da saudade
você sabe, eu sei lá
você em outra cidade
alô, você está bem?
Aqui também, tudo bem
estou usando bermudas
tá calor, o frio se foi
as coisas são absurdas
sou como se fosse dois
é noite de lua cheia
comprei camisa e meia
você sabe, o consumo
preciso comprar um carro
diminuir o cigarro
a cidade está vazia
e faz calor todo dia
tudo chato, tudo fria
li um texto que dizia
da vida depois da morte  
e a sensação muito forte
da feijoada que eu comi
sei lá, lembrei de você
deu saudade, ‘cê entende
toquei a bola pra frente
chamei fulana de tal
tava mal, eu pus pra cima
no fundo é uma menina
cada um tem seu destino
ouvi música no rádio
tem essa lua no céu
o que é que querem de mim?
A lua nunca tem fim
as ruas estão desertas
tá todo mundo de férias
a noite é sempre etérea
e você, tá tudo bem?
Não está se sentindo só?
Como é que vai sua avó?
Lembrei o texto que eu li
eu me esqueço do que ouvi
você me disse o que mesmo?
Hoje só andei a esmo
a cidade e a saudade
você sabe, a distância
as coisas aqui são longe
preciso de um carro novo
um daqueles que não quebre
vejo a lua e me comovo
liguei só para saber
tá tudo bem com você?
O que eu vejo ninguém vê
queria só lhe dizer
não tenho visto tevê
o que está fora está dentro
minha camisa é bonita
e você, tá de vestido?
O dia foi colorido
eu me senti divertido
a piada era boa
hoje só andei à toa
e tem o texto da vida
a noite hoje está linda
a saudade e seus dedos
tocaram a minha alma
hoje a cidade está calma
eu não me sinto com medo
amanhã levanto cedo
pensei ligar pra você
e aí, tá tudo bem?
Aqui também tudo bem.
Mas quando é que você vem?


Um comentário :